sexta-feira, agosto 27, 2010

Fanfic* Parte 1 -Joana



" olá , sou a Joana.
Há já algum tempo que tenho vindo a escrever uma fanfic sobre a kelda e o lysander... como tu sabes, não é muito fácil escrever fanfics :D...ainda mais escrever sobre os nossos personagens favoritos.... 
Mas... eu tenho uma "parte" da fanfic... para mim o mais dificil é escrever os inicios das histórias... portanto...o inicio ainda vai demorar uma bocadinho a ser feito...
... 
Bom, coisas que precisamos de saber sobre esta fic... A kelda foi no barco, prisioneira do Damons( acho que é assim que se chama) e havia outro prisioneiro... era o Edwin. A kelda ainda conseguiu esconder durante algum tempo a sua identidade, graças à ajuda do erebus... mas o Hallvard acabou por a reconhecer... Sigarr tentou com que Kelda se aliasse a ele... mas a kelda com a ajuda do erebus e do edwin, destruiu Sigarr... A pouca humanidade que ainda existia em Hallvard ficou destruida.... e ele tenta acabar com erebus e com edwin... pois apesar de tudo ele não consegue "desprender-se" dos laços que o unem à sua gêmea. Hallvard tenta matar edwin mas Kelda impede-o. "




      Preparados para ler?





Parte 1.


-“Sua idiota, porque é que te meteste à frente?!” – disse Hallvard
-“Foge enquanto podes Hallvard… eu encontro-te… e no fim… seremos apenas nós os dois”- foi tudo o que consegui dizer antes de tudo ficar negro e eu tombar no chão.
***********
Será que a morte era isto? Não, não podia ser tão dolorosa. Não era suposto ser assim.
O som suave de uma flauta desabrochou no silêncio, sobrepondo-se à dor que sentia e distraindo-me. Aquele som acalmava-me.
Abri os olhos para um espaço cercado de flores… calmo, sem dor, sofrimento, morte…

Descobri-me deitada sobre as costas da minha águia. A companheira que me tinha ajudado a superar os momentos mais difíceis. Ela aparecia sempre que eu estava em apuros.
A águia estava calma, adormecida talvez…

-“Kelda…” – esta voz... Sentando-me no dorso da minha águia, olhei em redor até os encontrar.
-“Pequena…” – os meus avós estavam iguais à última vez que os tinha visto, à muitos anos atrás. O branco imaculado dos seus cabelos, impostos como condição para eu não os reconhecer.
-“Avó… onde é que eu estou? Estou morta?”-
-“Não, querida… mergulhas-te num esquecimento para te puderes curar” – disse Pequena – “O que o teu irmão fez… por pouco não te matou. A bola de energia com que o Hallvard tencionava atingir Edwin, era bastante poderosa.”
-“Então… porque é que eu não morri?”-
-“Erebus reduziu a energia que a bola continha. A parte que te atingiu não te matou, mas foi o suficiente para ficares cheia de dores e inconsciente por algum tempo.” – Afirmou Lobo Cinzento.

Eu não queria volta a perdê-los; queria ficar ali, com eles e com a minha águia; não queria voltar para o meu “mundo”… não queria o destino que me foi imposto. Depois de destruir o feiticeiro Sigarr e ter salvo o nosso pai, Hallvard ficou ainda mais cego de vingança. Segundo o meu irmão, eu tinha destruído a única pessoa que alguma vez se importou com ele… e que tornou o seu sonho realidade…ter poder suficiente para sujeitar os Homens à sua mercê.
Talvez Pequena tivesse razão e a bola de energia fosse direccionada para o nosso pai… mas eu não partilhava o mesmo optimismo. Hallvard não aguentou perder o seu mestre, não aguentou ver o seu poder ameaçado por um “inferior” como ele considerava Erebus. Não aguentava que a sua irmãzinha estivesse contra ele.
Pequena, percebendo a direcção dos meus pensamentos disse:
-“Kelda… isto é uma ilusão… a tua missão ainda não acabou.”-
-“Eu não quero regressar...” – respondi agarrando-me à minha águia, com medo que ela fosse desaparecer.
-“Kelda é a tua missão… além disso existem muitas pessoas que precisam de ti.” – disse o meu avô.
-“O que vai acontecer quando eu acordar?”
-“Isso depende de ti, querida. Uma decisora deve decidir.” – disse Pequena
-“E se eu não decidir bem… se eu arruinar tudo…”-
-“Kelda… não estás sozinha…Acredita em ti e vais vencer.”- afirmou Lobo Cinzento
Eles começaram a desvanecer à medida que os meus olhos ficavam mais sonolentos. A última coisa que vi foi o sorriso dos meus avós.
***

-“Kelda…”
As dores eram horríveis. Cada fibra do meu corpo doía. O simples facto de respirar equivalia a agulhas espetadas pela pele.
Sentia leves pressões na minha testa, sentia que alguém me envolvia a mão, sentia…calor.
-“Kelda… acorda, amor” – eu conhecia esta voz; Lysander. Lysander estava ao pé de mim. E eu tinha tanta coisa para lhe explicar.
-“Ly…” – eu tentei pronunciar o seu nome, mas não conseguia.
-“Shhh… vais ficar bem.” – disse ele, beijando-me o rosto.
-“Ly… dói…” –
-“Eu sei, menina-feiticeira… mas vai passar… nós vamos cuidar de ti.” – disse, apertando a minha mão.
Nós? ... Lysander não estava sozinho… havia mais alguém com ele no quarto. A minha mente não conseguia registar e decifrar quem era mas, estava a dar-me energia. O quarto cheirava a floresta, a terra, a vida…
Quem quer que fosse…estava a dar-me vida.
***********************************************  




Fim da 1º parte;


Que achas-te?
Comenta! O que achas que vai acontecer a seguir?
QUERES UMA CONTINUAÇÃO?

8 comentários:

Su' » do: mundo sandra c. disse...

amo este fanfic*

=D

Anónimo disse...

Sara Costa

Gostei bastante deste fanfic, dá para suportar melhor a espera imensa que ainda temos até ao próximo livro...adorei, PARABÉNS! E já agora gostaria de ver uma continuação ^.^

Eu também tenho muitas historias muitos poemas mas só quando tiver tempo e cabeça é que publicarei, o teu incentivo deu-me vontade de publicar já eheh mas por enquanto ainda não...

♥Jëë disse...

Adorei... Só de ler este Fanfic fiquei um pouco mais aliviada do peso da saudade dos livros, visto que ainda falta um pouco para o livro ganhar vida...

Já agora agradeço-te, Joana, por não só teres "dado" vida a Kelda ("Quem quer que fosse…estava a dar-me vida.) Este fanfic fez-me a mim ganhar vida outra vez, fez-me ter mais vontade de escrever... Se calhar vou imaginar aquilo que escreveste e pensar em certas coisas e tal e escrever um poema para este teu fanfic...

Já agora: Quero a continuação...

Obrigada pela contribuição e por este maravilhoso Fanfic...

Anónimo disse...

Joana:
Ainda bem que estão a gostar :D
A segunda parte está quase pronta...
Quem acham que está a dar vida à Kelda?????
:D

Anónimo disse...

Oh Joana, vou-te dizer uma coisa e espero não ofender ninguém (porque ninguém nasce a escrever bem)... É a primeira vez que leio aqui algo cuja escrita não me obriga a interromper a leitura a meio. Força nisso miúda!

Anónimo disse...

Eu também gostei muito, embora tenha detectado alguns erros ortográficos... mas o que conta é a intenção!
Há uma parte em que dizes: "à muitos anos" e deveria ser "há muitos anos" porque estamos a referir-nos a tempo.
Também detectei outro erro. Não se diz "mergulhas-te", mas sim "mergulhaste"; não é "achas-te", mas sim "achaste".
(Eu achei
Tu achaste
Ele achou)
Quem estava a dar vida à Kelda era a rainha Lyria?
Vou esperar pela continuação...

Pink Butterfly

Anónimo disse...

por favor continua...
está 5 estrelas!

Anónimo disse...

Devias continuar...