sexta-feira, julho 16, 2010

Catelyn... poema de: Sara Costa

"Catelyn

Sozinha...
Perdida,
Desaba-se o mundo que me viu crescer,
Resta o vazio e a angústia
Em mim,
Da minha triste incompetência
De salvar os que amo...
Do que resta,
Desordem, Sangue e Ódio,
Um vazio que jamais será preenchido...
Quero morrer...
Mas não me deixam,
Estes bafos e suores
Rugidos dos gigantes que me roubaram da minha terra querida,
Dos meus irmãos,
Da minha missão...
Já nada mais importa
Nem que farão de mim ou que destino me reserva...
Acabou...
"A azul cairá por fraqueza e inaptidão"
Não passo de peixe-miúdo
Escrava às mãos destes bárbaros
Pergunto qual será o futuro
Da menina de olhos verdes
Que em tempos fui?
De que valeu seguir o coração?
Meu amor está morto
E de minha família nada sei,
Excepto que metade dela se foi,
Às mãos daquela bruxa!
A única coisa que me mantém alerta e atenta ao horizonte
É o gigante de ar angelical
Que me resgatou de um tormento maior.
Perturba os meus sonhos
Dia e Noite
E de nada sei dele.
Nem o seu nome...
Sinto os meus ossos enregelarem
Com o subir da maré,
Mas logo me aqueço no seu imenso olhar azul brilhante
E tal amabilidade
Vinda de coração tão bruto!
Minha alma teima em findar
E meu corpo treme perante
Colossal criatura.
Talvez o destino me reserve um bem maior,
Talvez os deuses me tenham conduzido às respostas 
Aos meus anseios.
Talvez o homem louro acolá
Seja o toque de esperança
Que meu coração precisa
Talvez...
Nada esteja perdido. "
Sara Costa


*.*   Obgado melhor amiga ^^

  Por um lado está um pouco descritivo, mas está poético =D
Todos nós reconhecemos em que parte da sua vida Catelyn poderá ter pensado tudo isto, agora desejo de morte é que não me recordo de ter tao intensamente

E vcs que acham?

4 comentários:

♥Jëë disse...

Uau está intenso.
Gostei!

Anónimo disse...

Adriana

Ei olá!

Conheço a saga à relativamente pouco tempo e pus-me a pesquisar na net e encontrei este blogue. Espectacular parabéns!

Adoro os teus poemas Sara, são lindos!!

Continua a escrever pleaseee

Bj

Senhor Raiz COLY disse...

Viva
emocionante e muito saudosa. Gostei deste poema que me lembra um amigo de infancia que já lá foi chamado pelos deuses do Dia e da Noite.
Boa continuação não desespera em escrever pouco a pouco te ferá escritora já é poeta.

Senhor Raiz COLY disse...

Mamadou Racine Raiz Coly