sexta-feira, junho 04, 2010

Dia de sonho, por Jéssica Reis (aconselho vivamente a ler!)

.
" Quando cheguei ao local combinado sentia-me como se tivesse comido um monte de borboletas de asas coloridas. Não parava de pensar como me haveria de apresentar. Mil e uma ideias preenchiam a minha mente, o meu coração batia a toda a velocidade, desejoso de sair do meu corpo e mostrar o seu tom avermelhado a toda a gente que se encontrava naquela entrada.

A minha protectora, como sempre faz, ajudou-me a mente quando foi ter com uma das Guardiãs daquele lugar sagrado perguntar pela Criadora de Historias. Ela ainda não tinha chegado e à medida que os segundos passavam o meu coração acelerava cada vez mais. Eu só pensava no que iria acontecer...

Fui ansiosa lá para fora ver quando é que a minha Heroína chegava. A ansiedade era de tal maneira grande que nem a minha defensora me acalmava.

Minutos se passaram, quando ao longe vi três seres descerem pela rua a baixo, ao reconhecer a Autora de Histórias, parei completamente; o meu sonho estava quase a ser concretizado! Deus tinha-me finalmente dado mais uma coisa boa e eu como bom anjo que era tinha de continuar a acreditar nele, para que na minha vida mais sonhos se pudessem realizar.
Mais uma vez, eu e a minha protectora entramos dentro do lugar sagrado. Não me sentia ainda confiante… A timidez tinha naquele momento tomado o lugar da ansiedade.

Os minutos foram voando e quando dei por mim estava a entrar numa das salas do grande santuário. Havia muitos fiéis a entrar e eu e a minha protectora estávamos com receio de não acharmos lugar. Então, como boas pessoas, fomos perguntar a uma das guardiãs se podíamos ali estar, mas o destino pregou-nos mais uma das suas partidas! A Inventora de Histórias veio falar connosco.

Após uma breve conversa, fui-me sentar numa das últimas cadeiras. A minha timidez já era demasiada sem estarem a olhar para mim quando mais quando era o centro das atenções! Eu não era nenhuma atracção de circo nem nenhum animal raro para estarem a olhar para mim com aquele ar curioso! Mesmo assim cedi à tentação e levantei o pesado braço, respirei fundo e perguntei… Apesar de muita timidez, a felicidade obrigara-a a diminuir.

Nas costas do vento eu voava pelo altíssimo céu. Vi as estrelas, pedi um desejo e trouxe uma brilhante estrela comigo. Quando voltei á terra todos tinham ido embora e eu estava finalmente no melhor momento do dia. Todas as palavras que compunham os livros que eu tinha na minha posse iam ser autografadas pela própria Criadora.

Imagens que sempre pensei em ter foram tiradas, um sonho que sempre tive foi concretizado e no final duas promessas foram feitas...

Não esquecerei o dia nem as promessas. Neste texto todos os meus sentimentos daquele dia estão expostos. Só falta terminar com um enorme “FIM” mas como não acredito em fins deixo simplesmente um:

A HISTORIA NÃO ACABA E A VIDA TAMBÉM NÃO. ISTO É APENAS O ÍNICIO DE ALGO MAIOR. "
 Jéssica Reis
Este trata-se do encontro da Jéssica com a Autora, contado de forma original e criativa!

Mais uma vez agradeço imenso á nossa companheira Jessica pela sua "coragem" e iniciativa para partilhar os teus textos, poemas, entre outros...

Espero que a sua partilha dé iniciativa a ainda mais fans a compartilhar os seus textos, desenhos, etc...   De que estás á espera?
Não tenhas medo!
Partilha-te  connosco!

4 comentários:

Jéss disse...

Obrigada por pores este texto aqui.
Espero que gostem... É muito importante para mim saber que gostam ou não daquilo que faço.
Caso não percebam algo que esteja escrito é só mandarem um comentário e quando eu vir posso esclarecer.
Mais uma vez digo: Espero que gostem.
Muito obrigada Su
Beijos

Anónimo disse...

Sara Costa(amiga)

Soraia tal como te prometi, aqui estão dois poemas que eu fiz, um do Throst e outro da Catelyn:

Throst

Nesse denso olhar verde floresta,
Me renego no céu azul,
De paixão dorida por quem não sinto
Meus olhos lacrimejantes de tanto ódio e mau-ser,
Me encontro...
Por ti, sou Lobo
Sou Guerreiro
Sou Alma Encantada
Corpo Ardente e Forte
Sou Homem,
Sou Teu...
Nessa densa floresta,
Que teus olhos imanam
Meu gélido coração
Derrete
Ao chamar por ti,
Pequena...

Catelyn

Sozinha...
Perdida,
Desaba-se o mundo que me viu crescer,
Resta o vazio e a angústia
Em mim,
Da minha triste incompetência
De salvar os que amo...
Do que resta,
Desordem, Sangue e Ódio,
Um vazio que jamais será preenchido...
Quero morrer...
Mas não me deixam,
Estes bafos e suores
Rugidos dos gigantes que me roubaram da minha terra querida,
Dos meus irmãos,
Da minha missão...
Já nada mais importa
Nem que farão de mim ou que destino me reserva...
Acabou...
"A azul cairá por fraqueza e inaptidão"
Não passo de peixe-miúdo
Escrava às mãos destes bárbaros
Pergunto qual será o futuro
Da menina de olhos verdes
Que em tempos fui?
De que valeu seguir o coração?
Meu amor está morto
E de minha família nada sei,
Excepto que metade dela se foi,
Às mãos daquela bruxa!
A única coisa que me mantém alerta e atenta ao horizonte
É o gigante de ar angelical
Que me resgatou de um tormento maior.
Perturba os meus sonhos
Dia e Noite
E de nada sei dele.
Nem o seu nome...
Sinto os meus ossos enregelarem
Com o subir da maré,
Mas logo me aqueço no seu imenso olhar azul brilhante
E tal amabilidade
Vinda de coração tão bruto!
Minha alma teima em findar
E meu corpo treme perante
Colossal criatura.
Talvez o destino me reserve um bem maior,
Talvez os deuses me tenham conduzido às respostas
Aos meus anseios.
Talvez o homem louro acolá
Seja o toque de esperança
Que meu coração precisa
Talvez...
Nada esteja perdido.


PS: para já ficam estes dois depois ponho mais...

Anónimo disse...

Sara Costa(amiga)

Soraia tal como te prometi, aqui estão dois poemas que eu fiz, um do Throst e outro da Catelyn:

Throst

Nesse denso olhar verde floresta,
Me renego no céu azul,
De paixão dorida por quem não sinto
Meus olhos lacrimejantes de tanto ódio e mau-ser,
Me encontro...
Por ti, sou Lobo
Sou Guerreiro
Sou Alma Encantada
Corpo Ardente e Forte
Sou Homem,
Sou Teu...
Nessa densa floresta,
Que teus olhos imanam
Meu gélido coração
Derrete
Ao chamar por ti,
Pequena...

Catelyn

Sozinha...
Perdida,
Desaba-se o mundo que me viu crescer,
Resta o vazio e a angústia
Em mim,
Da minha triste incompetência
De salvar os que amo...
Do que resta,
Desordem, Sangue e Ódio,
Um vazio que jamais será preenchido...
Quero morrer...
Mas não me deixam,
Estes bafos e suores
Rugidos dos gigantes que me roubaram da minha terra querida,
Dos meus irmãos,
Da minha missão...
Já nada mais importa
Nem que farão de mim ou que destino me reserva...
Acabou...
"A azul cairá por fraqueza e inaptidão"
Não passo de peixe-miúdo
Escrava às mãos destes bárbaros
Pergunto qual será o futuro
Da menina de olhos verdes
Que em tempos fui?
De que valeu seguir o coração?
Meu amor está morto
E de minha família nada sei,
Excepto que metade dela se foi,
Às mãos daquela bruxa!
A única coisa que me mantém alerta e atenta ao horizonte
É o gigante de ar angelical
Que me resgatou de um tormento maior.
Perturba os meus sonhos
Dia e Noite
E de nada sei dele.
Nem o seu nome...
Sinto os meus ossos enregelarem
Com o subir da maré,
Mas logo me aqueço no seu imenso olhar azul brilhante
E tal amabilidade
Vinda de coração tão bruto!
Minha alma teima em findar
E meu corpo treme perante
Colossal criatura.
Talvez o destino me reserve um bem maior,
Talvez os deuses me tenham conduzido às respostas
Aos meus anseios.
Talvez o homem louro acolá
Seja o toque de esperança
Que meu coração precisa
Talvez...
Nada esteja perdido.


PS: para já ficam estes dois depois ponho mais...

Anónimo disse...

Adriana

Ehehe, eu adorei a tua originalidade pra descreveres o teu encontro com a escritora, eu tbm fiquei super nervosa e ansiosa quando a vi pela primeira vez, nem sabia o que havia de dizer XD